Muitas soluções que fazem devolutivas de avaliações limitam-se a dizer que deve-se focar no componente curricular que foi mais errado na avaliação.

A Tuneduc inovou esse conceito desenvolvendo um algoritmo de prioridade. Para nós, três variáveis (e não apenas uma) devem ser consideradas para se indicar em qual componente curricular deve-se focar. São elas:

  • O aproveitamento que o aluno, turma ou série teve no componente curricular (veja também a definição de aproveitamento);
  • O aproveitamento relativo que o aluno,turma ou série teve no componente curricular em relação ao aproveitamento dos demais - Partimos da premissa que "ir mal em algo que todo mundo vai mal é melhor do que ir mal em algo que todo mundo vai bem"; e
  • O peso histórico desse componente curricular na avaliação - busca-se dar maior prioridade de foco para os componentes que são mais frequentemente avaliados.

Combinando as três variáveis, calculamos um indicador de prioridades que é maior para aqueles componentes curriculares que devem ser foco para o aluno, turma ou série.